Arquivos do Website:

Pontos turísticos na cidade de Bagé - Rio Grande do Sul


Conheça alguns dos principais pontos turísticos da cidade de Bagé RS. Principais rodovias de acesso à cidade de Bagé-RS: BR 153, BR 293 e BR 290.

MUSEU DOM DIOGO DE SOUZA - O prédio pertence a Sociedade Portuguesa de Beneficência (fundada em 1º de junho de 1870). Uma das construções mais antigas e belas de Bagé, foi construído para ser um hospital destinado a atender portugueses da região, em terreno doado pela província. Foi inaugurado em 27 de novembro de 1878, mas não começou a funcionar com o propósito inicial; foi alugado para o Exército Nacional para abrigar a Enfermaria Militar (1893 a 1898). Em 1894, um incêndio destruiu vários documentos, como estatutos e plantas do prédio. O edifício é semelhante ao Palácio de Queluz, em Portugal, onde nasceu e morreu Dom Pedro I.Rua Emílio Guilayn, 759.



Imagem: Prof. Cláudio Antunes Boucinha - http://claudioantunesboucinha.blogspot.com - (Anjo na fonte da Praça Silveira Martins).

MUSEU DA GRAVURA BRASILEIRA - O Museu foi ideia dos pintores Glauco Rodrigues, Glênio Bianchetti, Danúbio Gonçalves e Carlos Scliar, integrantes do Grupo de Bagé, já que no Museu Dom Diogo de Souza havia muitas doações de gravuras do Grupo e outros artistas. A ideia era coletar, conservar, pesquisar expor obras de arte, especialmente a gravura. Foi fundado em 21 de junho de 1977, e foi dirigido pelo historiador Tarcísio Taborda por muitos anos. Rua Coronel Azambuja, 18 (esquina Av. Tupy Silveira).

CASA DE CULTURA PEDRO WAYNE - Nesta esquina, antigamente, funcionava uma casa comercial muito conhecida na cidade, chamada Casa Vermelha. Fundada em 1902, a Casa Vermelha era considerada uma das casas comerciais de maior bom gosto e luxo da época, e possuía artigos para homens, mulheres e crianças, além de perfumes, calçados, miudezas, secos e molhados. Várias mercadorias vinham da Europa.  A Casa de Cultura disponibiliza atualmente, eventos de cultura popular, erudita, regional e universal. Além das manifestações de arte (como desenho, gravura, pintura, escultura, literatura, música, dança, folclore e artesanato). Endereço: Avenida Sete de Setembro 1001, esquina General Netto. Fone: 3242-8612.

IMBA – Instituto Música de Belas Artes - O IMBA funciona no antigo Solar da Sociedade Espanhola. O prédio começou a ser construído em 1890 (a primeira etapa foi finalizada em 1905) e foi totalmente concluído em 26 de maio de 1929. Até 1934, a Sociedade Espanhola alugou o Solar ao Clube Comercial, para arrecadas recursos para a conclusão da obra. O Instituto Musical de Belas Artes foi fundado em 10 de abril de 1921, pelos professores Guilherme Fontainha e Maestro José Corsi. Endereço: Avenida Sete de Setembro, 1087. Fone: 3247-1643.

BIBLIOTECA E ARQUIVO PÚBLICO MUNICIPAL-
Pertence à Prefeitura Municipal. Foi inaugurada em 26 de novembro de 1933. Funciona neste prédio desde dezembro de 2000. Até o final da década de 80, funcionou no local o Foro da cidade. Depois, o prédio passou por uma reforma para abrigar a Biblioteca. Rua Carlos Mangabeira, esquina Av. Sete de Setembro.

ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA - O prédio da antiga Estação Ferroviária de Bagé foi inaugurado em 2 de dezembro de 1884, quando também foi inaugurada a linha Bagé – Rio Grande. A Estação Telegráfica da Estrada de Ferro, inaugurada um pouco antes, funcionava no mesmo prédio. Em 1874 foi assinado um contrato para a construção da Estrada de Ferro Rio Grande – Alegrete, passando por Bagé. Em 2 de dezembro de 1884 foi inaugurada a linha Rio Grande – Bagé; em 1897 foi a vez do trecho Bagé – São Sebastião; e em 1900 completou-se a estrada Bagé – Cacequi. Em 1924 o prédio foi destruído por um incêndio. No mesmo ano o novo prédio começou a ser construído, funcionando como Estação Ferroviária até mais da metade do século XX. Na década de 70, os trilhos saíram do centro da cidade e a estação foi para Santa Thereza. Endereço: Rua Caetano Gonçalves, 1151. Fone: 3240-5049.

PALACETE PEDRO OSÓRIO - O prédio foi construído no início do século XX, pelo médico Dr. Pedro Osório. Possui estilo neoclássico, com mármore, vitrais e ferro. Há quem diga que é uma réplica de uma casa existente em Bologna (Itália), outros dizem que é réplica de uma casa em Paris, que teria inclusive os dois cachorros. As duas estátuas dos cachorros, em ferro fundido, foram colocadas alguns anos depois da sua conclusão. Existe, junto ao prédio, um bosque plantado por Pedro Osório, que era apaixonado por plantas e árvores. Até hoje o bosque é orgulho para os bageenses. A partir de 1955 foi sede do Colégio Estadual Carlos Kluwe, e hoje abriga a Secretaria de Cultura do município. Endereço: Av. Tupy Silveira, 1436. Fone: (53) 3242.6012.

PREFEITURA MUNICIPAL (Prédio da Intendencia Municipal) -
Inaugurada em 24 de fevereiro de 1900. O Governo Municipal ocupava, até então, um prédio situado à rua Conde de Porto Alegre, esquina Barão do Amazonas. Foi construída na administração de José Octávio Gonçalves. A planta da construção constituía-se de: um salão para o Conselho Municipal, uma sala para o Júri, duas salas para cada Secretaria (Tesouro, Município e Obras Públicas), ante sala e Gabinete do Intendente, biblioteca, Secretaria do Sub Intendente, alojamento para a Guarda Municipal, duas prisões e outra peças pequenas indispensáveis para o funcionamento da Intendência. A parte térrea, lado sul, funcionou como cadeia por muitos anos, e na parte superior, no Salão Nobre, funcionou a Câmara dos Vereadores. A porta principal original foi readaptada no interior do prédio, e a que hoje está no local foi doada pelo uruguaio Dr. Roberto Magalhães Suñe.

PRAÇA SILVEIRA MARTINS -
Já teve vários nomes: Largo do Conde, Praça do Portão (próximo à praça haveria um portão, que seria o portão de entrada da cidade), Praça do Mercado (segundo alguns), e Praça Voluntários da Pátria (em 1881), pois era nela que os soldados daqui que foram para a Guerra do Paraguai se reuniam. A atual denominação de Praça Silveira Martins, em homenagem a Gaspar Silveira Martins, vigora desde o final da década de 30. Situada bem no centro da cidade, em 1908 forma construídos os chafarizes e vieram do Rio de Janeiro os dois “anjinhos da praça”. Hoje não há mais as fontes, apenas permanecem os anjinhos.

CORETO MUNICIPAL -
Inaugurado em 15 de novembro de 1927 (data comemorativa à Proclamação da República). Sua construção foi obra do engenheiro civil Lincoln Proença Borralho, Sec. de Obras Públicas da administração de Carlos Mangabeira. Serviu de palco para bandas municipais e comícios de importantes políticos, entre eles os ex-presidentes Jânio Quadros e Juscelino Kubistchek.Antes da sua construção, havia no local um “chalet” de madeira, inaugurado em 1899.

PRAÇA DA REDENÇÃO - PRAÇA CARLOS TELLES -
Segundo alguns historiadores, aqui seria o centro do acampamento militar deixado por Dom Diogo de Souza em 17 de julho de 1811 que teria dado início à cidade de Bagé. A Praça da Matriz, anteriormente chamada Praça da Redenção, recebeu a denominação de Praça Carlos Telles em homenagem ao Coronel Carlos Telles, herói da defesa de Bagé durante o cerco de 1893 (Revolução Federalista). Na área próxima à Praça e à Catedral, onde a cidade começou a se desenvolver, as ruas estreitas mostram a influência portuguesa, um dos povos que ajudaram a colonizar o nosso município.

PRAÇA DE ESPORTES-PRAÇA RIO BRANCO -
Antigamente chamada de Praça da Constituição, em 1910 já era chamada de Praça Rio Branco. No governo de Carlos Mangabeira, em 1925 (segundo os jornais), a praça teria sido escolhida “para o desenvolvimento físico das crianças”. A planta estaria sendo elaborada pelo Centro de Cultura Física de Montevidéu. Em 1926-1927 foram colocados os aparelhos de ginástica, a tela ao redor da praça e da pista de patinação, e construída a quadra de tênis. Considerada a primeira do gênero no país, a praça foi inaugurada em 7 de setembro de 1927.

IGREJA MATRIZ DE SÃO SEBASTIÃO -
Sebastião, o padroeiro de Bagé, é também padroeiro dos militares. Em 20 de janeiro de 1813, uma procissão transladou a imagem de São Sebastião da Guarda da Coxilha para o acampamento militar deixado por Dom Diogo de Souza. Assim começou a história da Catedral. Inicialmente, a imagem ficou em um rancho e em 1815 iniciou-se a construção de uma igreja em louvor do santo. Concluída em 1820, a antiga igreja era muito simples, resumindo-se a uma capela-mor e tendo como corpo um galpão coberto de palha. A Igreja sofreu vários danos durante as Guerras Cisplatina e dos Farrapos, prejudicando suas estruturas. Em 15 de novembro de 1844, Duque de Caxias (então Marquês de Caxias), esteve em Bagé. Foi recebido pelo padre Lourenço Cazas Novas, que convidou Caxias para um Te-Deum para homenagear a vitória das forças imperiais sobre os farroupilhas no combate dos Porongos. Mas Caxias, já pensando na construção da paz, respondeu que se fizesse uma Missa de Defuntos, pela alma dos que morreram no combate. A atual Matriz começou a ser construída em 1862 e foi concluída em 1878. Porém, em 1865, quando já estavam prontos a capela e o altar-mor e a Igreja já estava coberta, começaram os cultos ao divino.

IGREJA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO -
As obras da antiga capela foram iniciadas em 1869 e concluídas em 1871. A pintura, incluindo os quadros da paixão e a abóbada, ficou pronta em 1888. Em 1893 (Revolução Federalista) a capela foi invadida pelos revolucionários. Em 1930 foi reformada e construída uma torre. Foi demolida em 1963 pelos padres capuchinhos e um novo templo foi construído, sendo a primeira missa celebrada em 08/12/1966. A imagem de Nossa Senhora da Conceição veio de Concepción, em 1870, e era uma presa da Guerra do Paraguai. Endereço: Avenida General Osório, 940. Fone: 3242-1463.

IGREJA NOSSA SENHORA AUXILIADORA -
Foi inaugurada em 24 de maio de 1929, mas só foi completamente finalizada na década de 40. O plano inicial era utilizar o colégio já edificado ao centro. À direita de quem olha ficaria a Igreja, onde já funcionava a antiga capela, e à esquerda ficaria o teatro. Mas o projeto foi modificado e a Igreja passou para o lado esquerdo. Como a área era menor, foi aumentada a sua altura. O irmão salesiano Heitor Schneider foi quem redefiniu e comandou o projeto, que teve apoio de várias pessoas da comunidade para concluir a obra. Foi ele também quem desenhou e colocou o altar-mor. Os cinco sinos vieram da Itália e cada um representa o som de uma nota musical: dó, ré, mi, fá, sol. Endereço: Avenida Marechal Floriano, 1347. Fone: 3242-5855.

ASSOCIAÇÃO RURAL DE BAGÉ- PARQUE VISCONDE DE MAGALHÃES -
A Associação Rural de Bagé foi fundada no dia 20 de setembro de 1904, por um grupo numeroso de associados, 95 ruralistas, cujos nomes estão eternamente inscritos na placa de bronze que foi fixada no Salão Nobre, liberados pelo Visconde de Ribeiro Magalhães. É a mais antiga a realizar Exposições Feiras. Durante este período apenas nas da 1ª e 2ª Guerras Mundiais, não foram realizadas as mostras em Bagé. Os primeiros estatutos da entidade foram redigidos pelo político e diplomata Joaquim Francisco de Assis Brasil. O Parque possui hoje cerca de 32 hectares, com galpões, mangueiras, asfaltamentos, árvores, pavilhões, locais para remates entre outras construções. Endereço: Avenida Portugal, número 495. Fone: 3242-5262.

CERRO DE BAGÉ - Diz a lenda que por aqui estaria enterrado o índio Ibajé, que segundo alguns historiadores seria a razão do nome da nossa cidade ser Bagé. No morro da TV, tem-se uma vista panorâmica de toda a cidade de Bagé.

RIO CAMAQUÃ - Rio que nasce em Bagé e deságua na Lagoa dos Patos. Possui 330 km de extensão.

RIO JAGUARÃO -
Rio que nasce no Município de Pinheiro Machado e corre aproximadamente em direção norte-sul até atingir o Município de Aceguá, voltando-se depois para noroeste-sudeste, marcando a partir desta parte o limite entre as faixas centro-sul do Estado e centro oriental do Uruguai. Passa entre Rio Branco e o município de Jaguarão e deságua na Lagoa Mirim. Seu curso é de aproximadamente 270 km. É navegável em 32 km, da foz até a cidade de Jaguarão.

Centro Histórico Vila de Santa Thereza- A vila surgiu em torno da charqueada de Santa Thereza,  fundada por Antônio de Ribeiro Magalhães, em 1897. A vila servia de residência de verão da família, e abrigava inicialmente cerca de 840 trabalhadores das charqueadas e das fábricas. Os trabalhadores da Vila Operária contavam com assistência médica e farmacêutica. A Vila tinha casas de alvenaria para cerca de 1000 pessoas e também luz elétrica. Endereço: Av. Visconde de Ribeiro Magalhães. Fone:(53) 3247 6861

Clube Caixeiral de Bagé- Fundado no dia 14 de outubro de 1894, por Flaubiano Camargo, juntamente com João Lopart, Francisco Mata e Ginez Galibern, em reunião realizada no “Theatro 28 de Setembro”. Endereço: Avenida Sete de Setembro, 1201. Fone: 3242-7711.

Clube Comercial- O prédio onde hoje encontra-se o Clube Comercial, inicialmente era a residência de Antônio Barbosa Netto. Depois foi sede do Hotel Paris, até 1925; depois foi comprado para construírem a sede do Clube Comercial, que já havia sido fundado no dia 03 de junho de 1886. O Clube já teve sua sede na Av. General Osório (onde encontra-se atualmente o Lojão Total), no “Solar da Sociedade Espanhola”, ao lado da Rádio Difusora (1934-1937). Endereço: Avenida Sete de Setembro, 1051. Fone: 3241-2066.

Hotel do Comércio- Fundado em 1842, pelo francês João Luiz Caputo; foi o primeiro hotel de Bagé. A fachada principal era na Rua do Comércio (atual Rua Barão do Amazonas), razão do nome do hotel. Após a morte do francês, por não haver herdeiros, o vice consulado da França vendeu o hotel ao Sr. João Coelho.

Parque do Gaúcho- É um espaço que foi inaugurado dia 03 de Novembro de 2006, destinado ao lazer , entretenimento e difusão da cultura e dos costumes do povo gaúcho. O Parque do Gaúcho localiza-se à quatro quilomêtros do centro da cidade, com acesso principal pela Avenida Visconde Ribeiro de Magalhães e acesso secundário pela estrada do Quebracho. Dispõe de uma área de 243 hectares, com estrutura de água, energia elétrica, rede de esgoto com estação de tratamento. Possui atualmente, Cancha de Lides para lides e festas campeiras, Anfiteatro com Concha acústica com arquibancadas fixas para a realização de eventos artísticos e culturais, Cancha reta com 4 raias e uma de serviço, para corridas de Cancha Reta, Acampamento Campeiro com estrutura de acampamento com água, luz e sanitários, possui ainda, pias e Churraqueiras localizadas no bosque de eucaliptos, com 06 módulos de pias e lixeiras e 120 churrasqueiras. Endereço: Avenida Visconde Ribeiro de Magalhães s/n. Fone: (53) 3240 5017.